El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player



Você esta aqui > Página Inicial > Eventos

BRASIL VENCE PARAGUAI E MANTÉM A META DE DISPUTAR A COPA DO MUNDO DE RUGBY DE 2015

Vitória dos Tupis por 35 a 22 mantém o Brasil na elite sul-americana, o Consur A, e agora os brasileiros terão de passar por Chile e Uruguai para seguir o caminho pelas eliminatórias da principal competição da modalidade.

28/10/2012 | Confederação Brasileira de Rugby.

São Paulo (SP) - A seleção brasileira masculina de rugby segue com chance de classificação para a Copa do Mundo da modalidade, que será disputada em 2015, na Inglaterra. Os Tupis venceram neste sábado (27), no Estádio do Nacional, em São Paulo, os paraguaios por 35 a 22 e com isso permanecem no grupo de elite do rugby sul-americano em 2013, o chamado Consur "A", juntamente com Argentina, Uruguai e Chile. 

O forte calor na capital paulista, que chegou aos 33 graus, não atrapalhou o desempenho da equipe verde e amarela, que contou o apoio de cerca de 4 mil torcedores, que vibraram muito com a equipe. No primeiro tempo, o Brasil marcou três tries com Erick Putim, Felipe Alemão e Moisés, em três belas jogadas individuais e de velocidade. O Paraguai reagiu com um penal de Gerard Cuttier e um try de Juan Gomez, convertido por Cuttier, colocando o score da partida em 19 a 10 no final da primeira etapa. 

No segundo tempo, um susto do Paraguai logo no início do jogo, diminuiu a distância no marcador para 19 a 15. Mas o Brasil soube manter o domínio do jogo, ampliando a vantagem no marcador com Putim (um try, uma conversão e um penal) e Lucas Tanque (penal) para 32 a 15. Felia Zarate marcou um try, convertido por Cuttier, para os jacarés aos 39 minutos, mas Lucas Tanque converteu mais um penal no minuto seguinte, fechando o placar em 35 a 22 para os tupis.

"Hoje tivemos uma grande partida, um espetáculo altamente competitivo. O Paraguai veio preparado para um jogo de vida ou morte, mas o Brasil aprendeu a trabalhar o 'jogo não estruturado', performando sem a posse de bola e atacando em defesa. Parabéns para esse fantástico grupo de atletas que dedica sua vida para o rugby brasileiro. Os atletas vinham exaustos da temporada nacional e tiveram somente 30 dias para preparar-se para essa partida. Nesse período curto de tempo, a comissão neozelandesa teve que conhecer e selecionar os atletas, além de ensinar-lhes rapidamente técnicas de jogo. Estão todos de parabéns", festejou Sami Arap Sobrinho, presidente da CBRu. 

O próximo desafio dos Tupis será ganhar do Uruguai e do Chile no Campeonato Sul-Americano de elite, o Consur "A", que será realizado em Montevidéu (Uruguai) em maio de 2013. A Argentina, que também participa do torneio, já está classificada para a Copa de 2015, portanto, não entra no processo eliminatório. Caso os brasileiros saiam vitoriosos dos dois confrontos, conquistando o vice-campeonato do Consur A, seguem para a próxima fase das Américas, que será disputada em 2014.

O jogo - Os brasileiros entraram confiantes. Em menos de 10 minutos, o Brasil já vencia por 12 a 0. Mesmo com o forte calor, a estratégia inicial dos Tupis foi de atacar. A equipe conseguiu logo de cara um penal, mas o ponta Erick Putim não conseguiu anotar os primeiros pontos. A seleção intensificou os ataques e, pelo lado esquerdo, o atleta fez uma jogada que levantou aplausos dando um chapéu no marcador e marcando o primeiro try. Na sequência, o mesmo Erick Putim não conseguiu fazer a bonificação, pois tinha pouco ângulo.

O Brasil não se incomodou com o placar de 5 a 0 e continuou no ataque. Desta vez, a jogada foi pelo centro. O half-scrum Felipe Alemão passou por três adversários e ampliou. Erick Putim converteu fazendo 12 a 0. O Paraguai tentou reagir e, na primeira jogada ofensiva, Gerrad Cuttier optou por um penal e descontou marcando os primeiros três pontos para os Jacarés.

Com a ajuda do TMO Marcelo Toscano (árbitro de vídeo), os Tupis validaram um try anotado por Moisés Duque. Erick Putim chutou bem e marcou outros dois pontos na conversão. Nos minutos finais do primeiro tempo, os paraguaios novamente descontaram com um try de Juan Gomez. Gerrad Cuttier converteu, deixando o placar em 19 a 10.

Na volta para o segundo tempo, o Brasil deixou o Paraguai diminuir a vantagem de nove para quatro pontos logo no primeiro minuto de jogo. No primeiro lance, Daniel Gregg não segurou a bola, que foi para frente. Os jacarés continuaram a jogada e Martin Ortiz fez mais um try. Porém, Gerrad Cuttier não consegui anotar a conversão.

Mas os brasileiros não deixaram os paraguaios se empolgarem. Aos 5 minutos, Erick Putim arrancou da linha das 22 jardas e anotou outro try, convertido por ele mesmo. O placar de 26 a 15 deixava a equipe do Brasil mais próxima do Consur A. O Paraguai não se intimidou e seguiu pressionando, mas Putim acertou mais um penal aos 22 minutos. Logo em seguida, o Paraguai errou na defesa e entrou em off side. A infração rendeu a chance de uma conversão valendo três pontos para Erick Putim, que não desperdiçou a chance.

Com 29 a 15, os Tupis administraram a vantagem nos 15 minutos finais. Lucas Duque, o Tanque, entrou e marcou mais três pontos. O Paraguai ainda descontou com um try de Felia Zarate validado por TMO e convertido na sequência. Ainda deu tempo para Lucas Tanque, converter mais um penal para o Brasil e fechar o placar em 35 a 22. 

"A equipe cresceu muito desde maio, quando disputou o sul-americano. Essa partida foi importante para que a equipe ganhasse mais confiança e com isso a gente possa dar continuidade ao projeto de desenvolvimento. Não foi tão fácil quanto os jogadores esperavam. O Brasil entrou forte, mas o Paraguai também estava bem determinado a conquistar a vaga. No final, conseguimos impor o nosso ritmo e superar esse desafio. O time tem potencial, tudo que fizemos, foi bem feito", comentou o treinador da seleção brasileira, o neozelandês Brent Frew.

"Entramos concentrados com uma boa defesa, mas deixamos eles abrirem uma boa vantagem. Depois do susto, tentamos impor nosso padrão de jogo e melhoramos na partida. Fizemos um try logo no início da segunda etapa, mas nossos erros acabaram custando caro e deixamos o Brasil se distanciar no marcador. No geral foi bom, estamos em um processo continuo de desenvolvimento e essa partida nos ensina a crescer e melhorar", explicou o capitão paraguaio, Rodrigo Llanosa. 

Taça da Copa do Mundo de rugby foi atração - A Taça Webb Ellis, oferecida ao campeão da Copa do Mundo de Rugby, foi uma das atrações do evento. O troféu, trazido por Phillippe Bourdarais, diretor de competições da Federação Internacional de Rugby (IRB), chegou ao Brasil nesta quinta-feira (25) especialmente para abrilhantar a partida. O cobiçado prêmio ficou exposto durante o jogo para que o público pudesse vê-lo melhor. 

Rugby para crianças - Antes de Brasil e Paraguai, 450 crianças e adolescentes de projetos sociais e equipes de ponta do país praticaram tag rugby no Estádio do Nacional. Esse tipo de rugby sem contato também pode ser praticado em espaços menores, como quadras de futebol de salão e vôlei, e é uma excelente atividade física para os jovens, contribuindo para o desenvolvimento motor e a promoção do espírito de equipe. 

Com isso, a CBRu está buscando implantar a prática no currículo escolar da rede pública de ensino. Com apoio da entidade e de times locais, algumas escolas já estão usado o tag rugby nas aulas de Educação Física, como nas cidades de Jacareí (SP) e São José dos Campos (SP). O evento para os pequenos contou com alunos do Sesi, Pasteur, SPAC, Rio Branco, Bandeirantes e dos projetos sociais Rugby para todos e Hurra.

A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) possui patrocinadores de relevância no País: Topper, Bradesco, Heineken, JAC Motors, Deloitte, BR Properties, Probiótica e Brookfield Incorporações. Também conta com parceiras pontuais de CREMER, Companhia Athletica, Travel Ace, Fortify e Tozzini Freire. Ademais, a CBRu realiza projetos de desenvolvimento de rugby via Lei de Incentivo ao Esporte com apoio do Grupo CCR, bem como uma competição nacional de seleções infanto-juvenis com patrocínio da Cultura Inglesa. O rugby é o segundo esporte mais praticado no mundo, têm 5 milhões de jogadores e está presente em 120 países. No Brasil, são mais de 100 mil seguidores, mais de 200 agremiações esportivas e 10 mil atletas registrados, números que, somados à volta da modalidade ao programa olímpico nos Jogos do Rio 2016, fizeram a International Rugby Board (Federação Internacional de Rugby) eleger o Brasil como prioridade estratégica de investimento.

Foto: Rafael Silva

Quer saber quais são as notícias mais importantes do Rugby? Clique aqui e não perca nenhum detalhe sobre o esporte que mais cresce no mundo!

Ainda não faz parte de nossa rede?
PATROCINADORES E PARCEIROS

Main Sponsor Major Sponsors

Official Sponsors



Official Suppliers & Supporters